sábado, julho 01, 2006




















Um único poema, o final,
Aquele que acaba a história
Aquele que conta a minha história acabada
Aquele que mostra o quão triste ela foi
Choro sorrindo porque cansei-me de chorar
chorando
Que me perdoem os anjos que me
guardaram, os anjos que eu pisei,
anjos caídos na minha sopa
tão carnal e quente
que dói
que dói.
Descalço na rua vai o meu destino,
Sorrio
Descalço dói. e sorrio de novo.
Perdi-me demasiadas vezes no caminho
Por isso, que me perdoem os seguidores
Sigam sozinhos agora, matem sozinhos agora.
Eu lamento
lamento muito.
Não sou quem quis
Não fui quem sou
Não fazer sentido é o meu lema.
Magoar e amar, ter prazer e sofrer
é o meu fado, o meu maldito fado.

Quantas vezes comi o teu coração ao jantar?
Devia estar arrependido e não arrotando
sabes? hoje não tenho fome
Vou amar-te só mais desta vez
Desta vez
Só mais desta vez
Depois aceitarei o que me trarás em riste
e saciarei a minha fome
só mais uma vez

2 Comments:

Blogger elementar said...

brilhante!

3:39 da manhã  
Blogger Unknown said...

ótimo...!!!

6:31 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home

Free Website Counter
Free Website Counter